Idioma/Language: Português English
1979-2014 © All rights reserved
Sociedade Brasileira de Nefrologia





Seja bem-vindo ao site do JBN!

Desde setembro de 2009 o número mais recente do JBN terá o acesso restrito. Somente os associados quites com a SBN (Sociedade Brasileira de Nefrologia) poderão visualizar os artigos na íntegra.

Para acessar os artigos restritos o associado deve informar o endereço de e-mail que foi inserido durante o cadastro como associado da SBN. Para receber a senha de acesso em seu endereço de e-mail clique aqui.

É IMPORTANTE verificar se seu endereço de e-mail está cadastrado para poder acessar os artigos. Caso não tenha endereço de e-mail cadastrado preencha o formulário disponível clicando aqui.

Caso tenha alguma dúvida entre em contato com a secretaria do JBN através do e-mail jbn@jbn.org.br ou através do telefone (11) 5579.1242.

Vol. 34 nº 1 - Jan/Fev/Mar de 2012

Artigo Original

Páginas 64 a 67

Relação proteína/creatinina na urina versus proteinúria de 24 horas na avaliação de nefrite lúpica
Urinary protein/creatinine ratio versus 24-hour proteinuria in the evaluation of lupus nephritis

Autores: Grace Tamara Moscoso Solorzano1; Marcus Vinicius Madureira e Silva1; Sílvia Regina Moreira2; Sonia Kiyomi Nishida3; Gianna Mastroianni Kirsztajn1

Como citar este Artigo



RESUMO:
INTRODUÇÃO: Tem-se defendido a utilização do índice urinário proteína e creatinina em substituição à determinação de proteinúria de 24 horas para acompanhamento de doenças glomerulares, considerando-se as vantagens de maior facilidade na coleta e o menor custo. Entretanto, há dúvidas quanto à pertinência de usar este índice tanto numa avaliação isolada como no seguimento de pacientes com nefrite lúpica.
OBJETIVO: Avaliar as determinações de proteinúria de 24 horas e proteinúria em amostra isolada de urina, fazendo a correção pela creatinina urinária, relação proteinúria/creatininúria, em indivíduos com nefrite lúpica.
MÉTODOS: Determinações de proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria por métodos convencionais (Pirogalol automatizado para proteinúria e picrato alcalino para creatinina).
RESULTADOS: Foram comparadas 78 amostras de urina de 41 pacientes com diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico, segundo os critérios da Associação Americana de Reumatologia, com nefrite lúpica, constatando- se uma boa correlação entre proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria (r = 0,9010 e r2 = 0,813). Não se observou, entretanto, uma boa correlação entre proteinúria em amostra isolada (sem correção pela creatinina urinária) versus aquela de 24 horas (r = 0,635 e r2 = 0,403) ou versus relação proteinúria/creatininúria (r = 0,754 e r2 = 0,569).
CONCLUSÃO: Os marcadores de proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria isoladamente mostraram-se úteis no acompanhamento de cada caso. Porém, observou-se que os seus valores absolutos são diferentes, não possibilitando a substituição de um pelo outro ao longo do seguimento, particularmente quando este resultado é usado para definição de atividade da doença. Se necessário, sugere-se um período de intersecção (duas a três determinações pelos dois métodos) para mudança de um para outro e escolha de um único marcador preferencial para seguimento da proteinúria.

Descritores:
Nefrite Lúpica. Proteinúria. Lúpus Eritematoso Sistêmico. Testes Diagnósticos de Rotina.

ABSTRACT:
INTRODUCTION: The urinary protein/creatinine ratio has been used instead of 24- hour proteinuria in Nephrology practice for the follow-up of glomerular diseases, considering the advantages of collection and the low cost. However, there are still doubts as to its applicability both for an isolated evaluation and for the follow-up of patients with lupus nephritis.
OBJECTIVE: To evaluate 24-hour proteinuria determinations and random urine samples, performing urinary creatinine correction and urinary protein/ creatinine ratio in subjects with lupus nephritis.
METHODS: 24-hour proteinuria and urinary protein/creatinine ratio were determined by conventional methods (automated Pyrogallol for proteinuria and alkaline picrate for creatinine).
RESULTS: Seventy-eight urine samples of 41 patients diagnosed with systemic lupus erythematosus, according to the American Rheumatology Association, with lupus nephritis, were analyzed, and a good correlation between 24-hour proteinuria and urinary protein/creatinine ratio (r = 0.9010 and r2 = 0.813) was observed. However, a poor correlation between random proteinuria (without creatinine correction) versus 24-hour proteinuria (r = 0.635 and r2 = 0.403) or versus urinary protein/creatinine ratio (r = 0.754 and r2 = 0.569) was seen.
CONCLUSION: 24-hour proteinuria and urinary protein/creatinine ratio were useful in the follow-up of each case. However, we observed that the absolute values were different, which did not allow the replacement of one for the other during follow-up, especially when this result is used to define the activity of the disease. Based on these results, we suggest a period of intersection from one to the other (two to three determinations by both methods), and the choice of one marker for proteinuria follow-up, if necessary.

Descriptors:
Lupus Nephritis. Proteinuria. Lupus Erythematosus, Systemic. Diagnostic Tests, Routine.


Para a exibição do conteúdo desse artigo utilize seu e-mail no Login e a senha 1234. Caso não consiga o acesso dessa forma, solicitamos entrar em contato com a secretaria do JBN no fone: 11-5579.1242
 
Login do sócio da SBN
   
JBN JBN JBN
GN1